Connect with us

Manaus, AM,

POLÍTICA

Deputados são acusados de pagar manifestantes para promover o caos na saúde do AM

Publicado

em

MANAUS – O deputado estadual Wilker Barreto é acusado de usar assessores pagos pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) para comprar manifestantes e forjar manifestação contra o Governo.

Como não conseguiu mobilizar ninguém para protestar contra o Governo semana passada, dia 20, na Avenida Djalma Batista, agora o deputado estadual Wilker Barreto é suspeito de pagar pessoas para manifestar contra o Governo.

Segundo informações de uma fonte que não quis se identificar com medo de represálias, e que também não aceitou participar do esquema, os assessores de Wilker criaram um grupo de WhatsApp, com apoio do MBL, movimento que se diz defensor da moral e dos bons costumes e de combate à corrupção, e passaram os últimos dias negociando com pessoas que se dizem líderes no Mutirão, bairro próximo ao hospital, para levarem pessoas com a missão de fazerem volume na pseuda manifestação.

Em grupo de whatsapp, um assessor de Wilker que se identifica como Rogério (o sobrenome é Aguiar) escreve, com um belo recheio de erros de português: ‘’Beleza Man… estou indo lá partido pega o dinheiro das camisas lá com o Orleans para passa pra @Jhony MBL’’.

Orleans é Orleans Murilo, o chefe de gabinete do deputado Wilker Barreto na Assembleia Legislativa. E Jhony é Jhony Souza, líder do MBL no Amazonas, movimento que prega a moralidade e se diz contra falcatruas, mas nos bastidores se aliou aos deputados Wilker Barreto e Dermilson Chagas, mais conhecidos na Assembleia Legislativa como capachos do ex-governador Amazonino Mendes.

Em outra mensagem, uma líder comunitária identificada no grupo de whatsapp como Raíssa, escreve: ‘’Gente? Tá mantido os 30 reais pro pessoal? Fechei com a liderança aqui do mutirão e essa pessoa vai levar umas 12 pessoas, não quero furar com ninguém!!’’

Veja as conversas:

Em um áudio na sequência da conversa, um interlocutor, do grupo do deputado Wilker Barreto, responde: ’’Raíssa, não te preocupa não garota, melhor mesmo é o povo do Mutirão que é próximo do hospital (Francisca Mendes) tá?! Não te preocupa que eu tô fazendo a minha parte’’. Em outro áudio, a mesma Raíssa lembra que também é preciso garantir o lanche dos manifestantes, ‘’se não ninguém aparece’’.

Nas três mensagens, fica claro, e provado, o uso de recursos públicos pelo deputado Wilker Barreto. Assessores, pagos pelo gabinete na Assembleia, trabalham na montagem da manifestação. A missão deles é reunir o dinheiro que pagará as pessoas que se passarão por manifestantes, para a confecção de camisas (uso do fundo partidário do Podemos) e para a compra dos lanches para manter as pessoas o maior tempo possível na manifestação.

Ouça os áudios:

Depois de perderem os privilégios do poder, com a derrota de Amazonino para o governador Wilson Lima, Wilker e Dermilson passaram a pregar o caos, a mostrar as mazelas da Saúde sem falar que as mesmas foram deixadas pelo ex-patrão, Amazonino.

Também fazem de conta que o atual Governo não fez nada, que não investiu para melhorar a Saúde. Só nessa área, Amazonino deixou um rombo financeiro bilionário, de mais de R$ 3 bilhões, com meses de pagamentos atrasados a fornecedores, empresas médicas e trabalhadores terceirizados.

Mais Lidas