Connect with us

Manaus, AM,

POLICIAL

Vídeo mostra jovem sendo espancado no Bloco do Vieiralves ao tentar defender prima de assédio

Publicado

em

MANAUS – Um ato que vem sendo considerado de extrema selvageria aconteceu no último domingo durante o Bloco do Vieiralves, realizado pela primeira vez no estacionamento da Universidade Nilton Lins, no Bairro do Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul de Manaus. As informações são do Portal do Zacarias.

O acadêmico de Medicina Odilon Pereira Velho Filho, 20, e sua prima, a estudante de Direito Rayssa Mendonça da Costa, 21, estavam no local em busca de diversão, 20, mas sem qualquer motivo justificável foram espancados por quatro homens que já foram identificados.

Os quatro homens que participaram da agressão foram identificados pela equipe de segurança do evento. Caio Nogueira, Bruno Luan, Pedro Henrique Damasceno Dantas e Aldair Lucas Gonçalves dos Santos são os acusados de agredirem Odilon e Rayssa.

Tudo aconteceu logo no começo da noite quando Odilon estava acompanhado Rayssa até o banheiro e um dos homens passou a mão nas nádegas da jovem.

Odilon Filho então saiu em defesa da prima, dizendo para o homem que ela estava acompanhada.

Caio Nogueira, Bruno Luan, Pedro Henrique e Aldair Lucas são os acusados e vão
responder na Justiça por lesão corporal (Foto: Divulgação)

Quando voltava do banheiro, Odilon foi agredido com muita brutalidade e Rayssa também foi espancada. Ela entrou em desespero ao ponto de se jogar sobre o corpo do primo gritando e pedindo que os homens parassem de bater nele.

Quando a equipe de segurança do evento entrou em ação, Odilon já estava desacordado e bastante machucado no chão. Ele foi atingido com muitos chutes e murros na cabeça, mesmo depois de desmaiar. A agressão foi tão violenta que até agora ele não teve condições de sair de casa para fazer o exame de corpo de delito no nstituto Médico Legal.

Um fato que deixou Rayssa mais indignada ainda foi quando uma mulher, que também fazia parte da equipe de segurança, mandou que ela se afastasse ou iria aplicar um golpe de mata-leão.

Odilon foi atendo em um hospital particular e já está em casa se recuperando do trauma psicológico e dos danos físicos provocados na agressão praticada pelos quatro homens. Rayssa, que também ficou com ferimentos no corpo, já fez exame de corpo de delito no IML.

O relato acima é da mãe do acadêmico de Medicina agredido, Cláudia Albuquerque.

Segundo ela, a Polícia Civil já abriu inquérito para apurar a agressão.

Um vídeo da agressão está sendo divulgado nas redes sociais e Grupos de WhatsApp. 

VEJA O VÍDEO (IMAGENS FORTES!)

Mais Lidas