Connect with us

Manaus, AM,

AMAZONAS

Detentos do Compaj recebem vitamina C como prevenção ao coronavírus

Publicado

em

MANAUS – O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) está disponibilizando vitamina C para os internos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no kmm 8, da BR-174 (Manaus-Boa Vista). A ação é mais uma medida de prevenção encontrada pela Governo do Estado, via Seap, e pela empresa cogestora Reviver Gestão Prisional contra o novo coronavírus (covid-19). Toda a população carcerária do Compaj recebeu o suprimento médico.

Os atendimentos começaram na sexta-feira (20/03) e se estenderam até o sábado (21/03), quando todos os 1.106 internos da unidade foram contemplados. Doze profissionais da saúde estiveram à frente da ação, que consistiu na distribuição de ampolas de vitamina C injetável. Foram disponibilizadas mais de 200 pastilhas efervescentes para aqueles que optassem pela alternativa, o que não ocorreu.

Fundamental no combate a resfriados e infecções pulmonares, a vitamina C é uma forte aliada contra o coronavírus, daí a importância dessa ação emergencial voltada para os internos do Compaj. “O maior intuito da ação é buscar dar seguimento às diretrizes da Seap no que tange proteger a saúde dos encarcerados”, disse o diretor da unidade, Lucas Maceda. “Nesse sentido, a ação vai funcionar para tentar aumentar a imunidade dos privados de liberdade e deixá-los mais resistentes a possíveis contaminações e infecções por conta do vírus”, completa ele.

Maceda também cita outras medidas tomadas no Compaj para evitar a propagação da doença como o uso de máscaras em todos os 351 colaboradores que atuam na unidade e o isolamento dos internos que estão no grupo de risco. “Todos os funcionários participaram da vacinação “, garantiu ele.

Nos próximos dias,  a ação será realizada nas demais unidades prisionais da capital.

Sem registro – Vale ressaltar que, até o momento, não foi identificado nenhum preso infectado pelo coronavírus nas unidades prisionais do Amazonas, bem como não há registro de casos suspeitos.

Mais Lidas