Connect with us

Manaus, AM,

AMAZONAS

Sistema Sepror e Banco da Amazônia discutem crédito para o agricultor familiar

Publicado

em

Em reunião por videoconferência, na manhã da quarta-feira (29), realizada pelo Sistema Sepror, o Banco da Amazônia anunciou que irá apresentar ao Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) um documento que oficializa a disponibilidade de crédito em cada agência do interior do Estado.
 
O objetivo é queatravés destes dados e de um grupo de trabalho com integrantes do Sistema Sepror e do Banco da Amazônia, os agricultores familiares do Amazonas consigam acessar de modo mais célere as linhas de crédito disponíveis.
 
A videoconferência contou com a participação da diretora-presidente do Idam, Eda Oliva, do secretário de Estado da Produção Rural, Petrucio Magalhães Junior, do superintendente do Banco da Amazônia no Amazonas, André Luiz Vargas, gerentes das unidades locais do Idam e representantes do banco na Região Norte.
 
De acordo com André Luiz, o Banco da Amazônia têm disponível para o Estado, no ano de 2020, um aporte de R$ 20 milhões, especialmente, para a agricultura familiar. “O crédito já está disponível. Basta chegar à demanda e se for preciso podemos aumentar essa meta de R$ 20 milhões”, detalhou.
 
Para isso, há o processo burocrático do acesso ao crédito que o superintendente explicou que como agente financeiro o banco está de portas abertas para orientar e auxiliar os agricultores familiares, bem como servidores do Sistema Sepror que trabalham diretamente com estes clientes.
“É importante que o agricultor familiar tenha o Cadastro Ambiental Rural (CAR) para acessar as linhas de crédito do Pronaf. Junto com o Sistema Sepror, ficou acordado que será criado um grupo de trabalho para auxiliar os agricultores, associações e organizações quanto à parte documental das tomadas de crédito, ainda mais neste período de pandemia.
 
Segundo o secretário da Sepror, “R$ 20 milhões estão disponíveis pelo Banco da Amazônia, para serem aplicados na agricultura familiar e no agronegócio do Amazonas, valor bastante expressivo nesse momento de pandemia em que estamos passando. O governador Wilson Lima não tem medido esforços para fomentar a produção local de alimentos”.
Petrucio Magalhães disse também que “faremos grupos de trabalho entre as Secretarias de Estado para acompanhar e ajudar no destravamento de alguma dificuldade que possa existir na área técnica, ambiental, cadastral ou em outra qualquer. O agro não parou, e a determinação do governador Wilson Lima é que após a pandemia estejamos todos preparados para a retomada das atividades produtivas e do crescimento econômico para gerar empregos.
Na avaliação da diretora-presidente do Idam, Eda Oliva, a iniciativa do Banco da Amazônia é salutar, neste período de pandemia, e que o Idam aguarda a situação financeira disponível para discutir com cada unidade local as possíveis tomadas de decisão para que o agricultor familiar seja beneficiado com crédito via o Banco da Amazônia.

Mais Lidas