Connect with us

Manaus, AM,

MANAUS

Capitão PM assume que deu “banho” em live do Caprichoso

Em nota divulgada no Facebook, o PM afirma que tem uma ligação com o bumbá desde criança

Publicado

em

Manaus – O capitão PM Ricardo Viana, que é subcomandante do Batalhão da Polícia Militar de Parintins, divulgou agora há pouco uma longa nota em seu perfil no Facebook assumindo total responsabilidade pelo incidente ocorrido no último domingo pela manhã, quando passou em velocidade pilotando um jet ski por um pier onde o Caprichoso promovia uma live e provocou uma onda que molhou todos os que estavam no local e causando prejuízos materiais.

 

Viana diz na nota que não estava em serviço, portanto não pode ser responsabilizado como militar, mas assume o erro como civil, diz que não consome bebidas alcoólicas e anunciou sua saída do quadro de sócios do boi Caprichoso, mesmo declarando amor pela agremiação, que frequenta desde criança.

Veja a íntegra da nota:

“Quanto mais eu sou Caprichoso mais Caprichoso gosto de ser !

Aos ávidos por uma nota de esclarecimento…

Primeiramente quero deixar esclarecido que há um tempo não faço parte de redes sociais, portanto, em momento algum me eximi de responder ou me escondi de qualquer atitude que eu tenha dado causa.

Em breve histórico faço um relato biográfico da minha ligação com o Boi Caprichoso. Vim de família tradicional, a qual vários entes queridos já deram sua parcela de contribuição para o que o Caprichoso é hoje.

Sou do tempo em que o presidente do boi era aclamado e ninguém queria assumir essa árdua função, pois o Presidente carregava o boi nas costas, literalmente!

Em tenra lembrança da infância, acompanhei meu querido pai nos primeiros esboços do Chapão, eu curumim, e ele um dos organizadores, junto com seu compadre Mauricinho. Lugar regado a caldeirada de bodó, churrasco, a maior bandeira do Caprichoso que se poderia ter tremulando no céu, muito foguete e toadas do Touro Negro o dia inteiro, ambiente destinado a reunir os amigos, torcedores e simpatizantes do Caprichoso, que vale ressaltar, ainda não tinha estrela na testa.

Em cada ano que se passava aquela brincadeira reunia mais e mais gente, a ponto de tomar grandes proporções e o lugar não ter mais as características de um ambiente familiar e ser ponto de referência a turistas que vinham conhecer o festival.

Aquela mesma época, a noite, nas apresentações de 28,29 e 30 eu me apresentava como toureiro, uma encenação na arena, a qual era comandada pelo ilustre ex presidente Carmona Oliveira, creio que bem antes de pensar em pleitear tal cargo.

Depois, fui para a Linha de Frente, lugar destinado a crianças que saiam com suas Palminhas na frente da Marujada.

Com o passar dos anos brinquei na Marujada de Guerra, e um pouco mais pra frente, já como sócio, fui convidado a integrar o Corpo de Fiscais do Caprichoso.

Dito isto, importante é salientar que não acolho qualquer comentário ou crítica de quem tenha tido menos intimidade ou tenha contribuído menos com o Caprichoso, por qualquer fator que seja.

Fato ocorrido… domingo em um momento de lazer quando me dirigia à praia, eu, Ricardo Viana (pois ali, quem pilotava o Jet eski em minha folga, a não ser que tenha alguma viatura PM nesse modelo, que é de meu desconhecimento) e não o Cap PM Viana (como foi veiculado nos meios de comunicação), passei perto do Pier de um amigo o qual nutro um respeito e admiração enorme, que é o Edwan Oliveira e que pelos laços de amizade tenho a liberdade e me sinto a vontade pra tirar brincadeiras, pois quem é do meu convívio sabe que me reservo a certas situações, lugares e pessoas.

Jamais poderia imaginar que como de costume Edwan não estaria ali tomando banho de rio em seu Pier, com seus amigos, que muitos também são meus em comum. Não imaginei que em um domingo as 10:30 hs aconteceria um evento naquele local, qual seria a Live do Caprichoso.

Passei alí com intuito de “mexer” com um amigo que imaginei que estaria tomando sol ou tomando banho de rio, e acabei molhando artistas e profissionais ali presentes exercendo seu mitiê.

Não se justifica o injustificável, a imprudência. Sim… deveria ter me cercado de todos os meios pra que o infortúnio não ocorresse, mas o erro acontece por um lapso.

Ressalto que não expus a vida de ninguém a risco, não faço uso de bebida alcoólica e estava de acordo com as normas marítimas.

Segui meu destino sem saber da dimensão do que havia ocasionado. Tão logo que peguei o celular por volta das 14:30/15:00 e vi a repercussão em grupos de mensagens, onde NESSE MOMENTO ACUSAVAM UM OUTRO RAPAZ INJUSTAMENTE, eu liguei para o Presidente do Caprichoso, me identifiquei como sendo o causador e me deixando à disposição para sanar qualquer dano que tinha causado, e este disse pra eu não me preocupar, que tudo seria resolvido da melhor forma. Momentos depois entrei em contato com o Edwan.

Quem me conhece sabe que a covardia não me habita !

Da mesma forma pensei que não habitava a Associação Folclórica para que torço e sou sócio. Cheguei a conclusão e decidi que me desligarei do quadro de sócios, ora… qual é o benefício em fazer parte do quadro de sócio e o que me traz ? Uma carteirinha ? Um CD ? Uma camisa ? Ou a incapacidade de reconhecer em sua NOTA de ESCLARECIMENTO o óbvio, a verdade, que o causador de tal situação se identificou, foi uma fatalidade, é sócio do Caprichoso e se pôs à disposição para reparar os danos?

Me contentarei em somente ser item 19 (galera) e continuarei não só torcedor do Caprichoso, mas um entusiasta do Festival e tendo muito respeito pelo Garantido pois lá tenho grandes amigos.

Entendo que hj tudo gire em torno de política e há de se convir a vontade intrínseca em agradar todo mundo, no entanto, tbm há de se ter cuidado que na maioria das vezes quem quer agradar a todos, acaba não agradando ninguém.

Vi vários tipos de comentários tipo… “deve ser cassada a patente dele”… meu Deus, estudem antes de escrever algo, a Internet é democrática mas não é por isso que é terra de ninguém. “Que belo exemplo ele dá para os filhos”, “que vergonha para os pais” kkkk… se soubessem o quanto meus pais sentem orgulho de mim pela pessoa que me tornei e o que conquistei com meu esforço.

Enfim… o ser humano é assim, costuma criticar o que não conhece, o que não tem capacidade de fazer, ter ou ser.

Aos que tentam toda forma desestabilizar alguém pelos motivos acima informados, digo-vos que se me “emocionasse” com esse tipo de “pressão” eu escolheria outra coisa pra fazer da vida e não ser Polícia.

Continuarei honrando a instituição a que sirvo e produzindo cada vez mais, por meio de prisões, apreensões, operações, e acrescentar mais alguns aos meus 20 elogios, 1 medalha de Ação Policial e 1 diploma de Honra ao Mérito em ficha funcional.

Por fim… encerro por aqui mas antes faço minha deferência à Odineia Andrade, Socorro Lopes, Roberto Viana (Balaco), meu pai, Sérgio Viana, Ray Viana, Gelson Azêdo, Mauricinho, Acinelson a Família Vieira na pessoa de Didi Vieira (em memória, mas hoje seus descendentes), familia Cid, família Baranda, na pessoa de João Pedro, família Carvalho na pessoa de Dodozinho, Armínio Cohen e outros que me falta a memória mas tanto quanto esses citados deram sua parcela de contribuição para o que o Caprichoso é hoje, quando numa época o importante era brincar de boi, celebrar a cultura e a tradição, e não o retorno financeiro.

Obs: na foto, eu e Manoel (em memória), grande amigo, prestes a entrar no bumbódromo.

Ricardo Viana (na folga)

Cap PM Viana (no serviço)”

Mais Lidas