Connect with us

Manaus, AM,

MANAUS

Morre médico que agrediu adolescente durante parto em Manaus; veja vídeo

Além de ser comparado como “cavalo” por algumas pacientes, Armando cobrava de forma irregular R$ 2 mil por parto em hospitais públicos de Manaus

Publicado

em

Manaus – O médico obstetra Armando Andrade Araújo, de 72 anos, morreu nesta quarta-feira (29) por insuficiência respiratória. O médico ficou conhecido em Manaus pelas violências obstétrica pelo qual submeteu uma adolescente durante trabalho de parto.

Além de ser comparado como “cavalo” por algumas pacientes, Armando cobrava de forma irregular R$ 2 mil por parto em hospitais públicos da capital.

Caso adolescente

Em 2018, a adolescente estava em trabalho de parto na maternidade Balbina Mestrinho, e um vídeo gravado pela família mostra o momento em que médico xinga e agride fisicamente a adolescente. Na época, a Polícia Civil afirmou que o médico cometeu crime de injúria e vias de fato.

Cobrança em hospital público

O outro caso denunciado, ocorreu em 2012. O atendimento à paciente teve início no Instituto da Mulher, onde ela chegou no dia 8 de março daquele ano, mas, como o plantão do médico Armando Andrade estava acabando, ele pediu para a vítima ir para casa e comparecer na maternidade Chapot Prevost às 7h da manhã seguinte.

O parto só foi feito no dia 9 de março. Na ocasião, o médico cobrou R$ 2 mil da paciente, para a realização do parto, na maternidade pública. O processo foi julgado em julho de 2019, na 1ª Vara Criminal da Comarca de Manaus. Durante uma audiência, o marido da vítima afirmou que chegou a entregar o dinheiro ao médico. Armando, contudo, disse ter solicitado o dinheiro, mas alegou que não chegou a receber o pagamento.

Condenação

O defensor público Theo Eduardo Ribeiro Costa, que atuou no processo, pediu a manutenção da medida cautelar que impede que o médico exerça suas funções profissionais até o trânsito em julgado, a aplicação da perda da função pública de médico como efeito da sentença, a indenização de danos morais para a vítima no valor de R$ 60 mil.

Veja:

 

Mais Lidas