O Amazonas está há 119 dias sem casos confirmados de sarampo. Pelo levantamento, realizado até esta quinta-feira (30/05), o último caso confirmado da doença foi registrado em Manaus no dia 31 de janeiro. Para continuar com esse controle, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) está realizando ações para o encerramento do surto da doença no Estado.

Em cumprimento ao Plano de Ação de Enfrentamento do Surto de Sarampo 2019, a FVS-AM realizou, neste mês de maio, treinamento voltado para os enfermeiros responsáveis pela Vigilância Epidemiológica nos municípios sobre Doenças de Notificação Compulsória com apresentação da Situação Epidemiológica do Sarampo no Amazonas.

O treinamento foi realizado para 22 municípios do interior do Estado e profissionais da sede da FVS-AM, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, zona norte de Manaus.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, informou que a equipe técnica do Departamento de Vigilância Epidemiológica da FVS-AM, responsável pelo treinamento, está realizando, também, visitas técnicas às cidades amazonenses para alinhamento das ações de prevenção, monitoramento e controle da doença com os profissionais das Secretarias Municipais de Saúde do Estado. “Essa fase de encerramento do surto é tão importante quanto o início, pois a nossa maior preocupação é que não haja a segunda onda da doença, com os novos casos de sarampo”, alertou.  

Rosemary ressalta que a única forma de prevenção de novos casos é pela vacinação. “A FVS orienta a população na faixa etária de seis meses a 49 anos que procurem a sala de vacinação mais próxima de sua residência para se vacinar e proteger a sua saúde”, salientou.

A diretora da FVS-AM faz um apelo, em especial às mães, para que estejam atentas ao calendário de vacinação das crianças menores de cinco anos. “Essa medida simples garante a saúde de seus filhos, evitando que eles adoeçam por doenças imunopreveníveis que podem causar quadro graves, sequelas e, muitas vezes, o óbito”, alertou.   

Protocolo de Encerramento do Surto – Para a coordenadora técnica do doenças febris exantemáticas da FVS-AM, Angela Desirée Carepa, a principal orientação aos municípios é a busca retrospectiva de casos suspeitos que possam ter sido atendidos na rede de assistência e não identificados como sarampo.

“Além da busca retrospectiva, vamos continuar trabalhando com ações para sensibilizar os profissionais com palestras e alertas para a importância da vacinação com a tríplice viral, como a principal forma de prevenção contra o sarampo com o esquema completo na carteira de vacinação. Tudo para evitar novo surto de sarampo”, afirmou Angela.  

Municípios – Receberam visitas técnicas da FVS-AM os seguintes municípios: Amaturá, Manicoré, Novo Aripuanã, Tefé e Uarini. Foram capacitados para Doenças de Notificação Compulsória em Carauari, Barcelos, Eirunepé, Beruri, Itamarati, Itacoatiara, Benjamin Constant, Humaitá, Barreirinha, Amaturá, Iranduba, Envira, Careiro Castanho, Coari, Fonte Boa, Itapiranga, Caapiranga, Apuí, Ipixuna, Borba, Autazes e Alvarães. Outros municípios também vão receber essa capacitação ao longo do ano.

Cobertura vacinal – Durante o surto de sarampo em 2018 no Estado, 67.683 crianças de 1 ano de idade receberam a vacina tríplice viral contra o sarampo, o que representa uma cobertura vacinal de 88,64% da população-alvo, com uma taxa de homogeneidade da cobertura de 54,8%. Na campanha de vacinação para as crianças de 6 meses a menores de 6 anos, foram vacinadas 302.498 crianças, o que representa uma cobertura vacinal de 99,21%. Foram realizadas ações para a contenção dos casos, com prioridade para a imunização, através da intensificação da vacinação de rotina dos grupos de risco, bloqueio vacinal em tempo oportuno dos casos notificados, vacinação de casa em casa nas áreas com casos confirmados.

Casos confirmados – Conforme o último Boletim Epidemiológico de Sarampo no Amazonas edição nº 46, elaborado pela FVS-AM e divulgado no último dia 17 de maio, foram 11.464 casos suspeitos de sarampo distribuídos em 50 municípios.  

Em relação aos casos confirmados da doença são 9.809 distribuídos em 46 municípios do Amazonas. Desses, 82,1% foram registrados em Manaus; 9,8% em Manacapuru; 1,4% em Itacoatiara; 1,0% em Coari; 0,8% em Iranduba; 0,7% em Juruá e 4,2% nos demais municípios.

Foram registrados seis óbitos relacionados ao sarampo em 2018, sendo três residentes em Manaus, dois em Autazes, e um em Manacapuru. Quatro foram registrados em menores de um ano de idade, um adulto na faixa etária de 40 a 49 anos e um adulto maior de 50 anos.

Comentários

Comentários