Manaus – A Prefeitura de Manaus exonerou o policial militar Elizeu da Paz de Souza, que está preso como um dos suspeitos da autoria ou participação no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues. As informações são do Estado Político.

A exoneração foi publicada no Diário Oficial do Município de quarta-feira, 16. O documento é assinado pelo prefeito Arthur Neto (PSDB), e pelo filho do prefeito e chefe da Casa Civil, Arthur Bisneto (PSDB).

O cabo Elizeu da Paz de Souza é lotado há 3 anos e 7 meses na Casa Militar e prestava serviço de segurança para o prefeito. Pelo cargo, o policial recebia salário bruto de R$ 5,2 mil.

Elizeu também aparece, conforme dados do Portal da Transparência do estado, na folha de pagamento da Polícia Militar do Amazonas, com salário bruto de R$ 6,4 mil. Pelos dois cargos, o cabo acumulava uma renda mensal de R$ 11,6 mil.

Imagens divulgadas no dia 4 mostram Elizeu chegando ao condomínio Passaredo acompanhado de Mayc Vinícius Teixeira Parede. O carro que o policial militar dirigia, um Corolla de cor prata, placa PHY-8170, pertence à Casa Militar da Prefeitura de Manaus.

A informação foi confirmada pelo titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), delegado Paulo Martins.

Na chega ao condomínio, às 22h13, Mayc aparece no vídeo sentado ao lado de Elizeu no banco de carona. Às 22h44 eles deixam o local, desta vez, Mayc aparece sentado no banco de trás do veículo segurando algo. Não é possível afirmar se era um objeto ou um corpo.

Uma das linhas de investigação da polícia é que Elizeu tenha ido naquela noite ao condomínio para retirar Flávio do local. Não se sabe se vivo ou morto. No local, morava o filho da primeira-dama do município, Elisabeth Valeiko, Alejandro Valeiko. Ele também é considerado suspeito do crime e está preso.

Abaixo o documento da exoneração do policial:

Comentários

Comentários