Manaus – Em meio a crise financeira que atingiu o Brasil nos últimos anos, muitos municípios têm se esforçado para recompor sua economia com diversas contenções de despesas. No entanto, a Prefeitura de Manaus consegue ir na contramão dessa regra ao fechar um contrato de R$ 207.289, 69 com a WM Construções e Serviços de Manutenção.

Trata-se de uma construção de uma parada de ônibus, localizada no Parque Cultural de Esporte e Lazer no bairro Ponta Negra. Porém, o alto valor da obra contratada pela Prefeitura de Manaus e a WM Construções tem chamado a atenção da população.

Apesar de se apresentar como uma empresa de “referência em prestação de serviços no âmbito da construção civil”, a WM consta como réu no processo de número: 0001604-03.2016.5.11.0002 no Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT-11).

De acordo com publicação no Diário Oficial do Município de 21 de maio, a WM conseguiu se classificar em primeiro lugar na disputa licitação tomada de preços realizada pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbanos (IMPLURB).  

O responsável pela WM, Waldy da Costa Valério Júnior, confirmou que o valor da obra chama atenção se comparada com outras construções de pontos de ônibus já construídas em Manaus, mas negou qualquer irregularidade do contrato.

De acordo com o responsável pela empresa, o contrato firmado com a gestão municipal prevê a qualidade na execução do serviço.

Em 2015, o Ministério Público Estadual do Amazonas (MPE-AM) investigou denúncias de superfaturamento em uma licitação da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) na construção de 200 paradas de ônibus, com um investimento de R$ 5,3 milhões. No entanto, dois anos após a liberação do recurso, apenas 72 construções foram entregues.

IMPLURB

Questionada pelo Expresso AM, o Instituto Municipal de Planejamento Urbanos (IMPLURB) reafirmou o valor do contrato firmado e esclareceu que “a empresa participou de Pregão Eletrônico conforme prevê a legislação”, explicou em nota.
 

Comentários

Comentários