Foto: Reprodução

O bispo de Formosa, em Goiás, Dom José Ronaldo Ribeiro, um monsenhor e quatro padres foram detidos, nesta segunda-feira (19), em uma investigação do Ministério Público sobre desvio estimado em R$ 2 milhões da diocese de Goiás.

A investigação teve início após relatos dos fieis sobre desvio de dinheiro, em 2015. Em dezembro do ano passado, o bispo Ribeiro negou irregularidades nas contas da diocese.

Segundo a investigação, o dinheiro desviado vinha de dízimo de fieis, doações, arrecadações em festas e taxas pagas em eventos da igreja. Uma parte do dinheiro teria sido usada para a compra de uma fazenda de gado e uma casa lotérica na cidade de Posse, também no interior de Goiás. As propriedades estariam no nome de laranjas.

Ao todo, a ação denominada “Caifás”, em alusão ao sacerdote que entregou Jesus Cristo a Pôncio Pilatos, cumpriu 13 mandados de prisão e dez de busca e apreensão nas cidades de Formosa, Posse e Planaltina.

Os locais investigados incluem as casas dos suspeito, igrejas e um mosteiro.

Além do bispo Ribeiro, os presos são o vigário geral, monsenhor Epitácio Cardozo Pereira, e os padres Moacyr Santana, Mário Vieira de Brito, Waldson José de Melo.

Comentários

Comentários