Foto: Reprodução

Manaus – A Polícia Civil de Manaus registrou como suicídio a morte médico legista José Maurício César Albuquerque, de 59 anos.

Na manhã da última sexta-feira (28), José foi encontrado morto em um dos quartos do motel Aphrodite Park Motel, na avenida Professor Nilton Lins, bairro de Flores, na zona centro-sul da capital. 

Na quinta-feira (27), José se hospedou sozinho no motel e no dia seguinte, a recepcionista ligou para quarto dele, mas ele não atendia as ligações.

Uma camareira foi até o quarto, chamou, bateu na porta, mas ninguém respondeu. Ela então abriu a porta e deparou com o corpo sem vida por volta de 05h30, o médico estava na cama coberto com um lençol. A funcionária, então, avisou a direção do motel, que entrou em contato com a polícia.

No quarto onde José estava, investigadores da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) encontraram um bilhete do lado do corpo e várias cartelas de medicamento de tarja preta jogadas no chão, José tomou muitos comprimidos desse remédio.

No bilhete, José pedia para abrirem sua carteira que tinha a quantia de R$ 500 reais para pagar a conta do motel, as despesas estavam dando R$ 498 reais, ele também pedia no bilhete para ligarem para sua amiga de trabalho, e entregar a chave de seu carro para ela, que dentro ele tinha deixado uma carta.

Ao longo da carta, José afirmou: “Eu tenho depressão e cheguei no meu limite, planejei colocar um fim na minha vida, não suporto mais, dói viver, acho que nada pode ser pior do que estou passando”.

Na carta ele também pedia para sua amiga abrir seu apartamento que dentro de uma gaveta no seu quarto ele tinha deixado a quantia de R$ 16 mil reais para entregar para seu filho.

A Polícia Civil do Amazonas soltou nota de pesar

Comentários

Comentários