Foto reprodução/Instagram

O Amazonas terá uma representante no Miss Bumbum 2018, a dançarina Paula Oliveira, 28 anos, uma transexual que nasceu em Porto Alegre e mora atualmente em São Paulo. A gaúcha deu uma entrevista exclusiva para o Amazonas News. 

Há 6 anos, Vinicius de Oliveira, como era chamado, fez a cirurgia de redesignação sexual com a ajuda do pai que conseguiu toda a documentação para que a filha fizesse o procedimento “Aos 18 anos eu cheguei pro meu pai e falei que era gay e ele aceitou, assim sabe, tudo de boa. A minha mãe ficou meio assim, quando eu comecei a virar trans que ela não aceitou muito mas hoje em dia são de boa” disse Paula.

A dançarina teve que ir ao psicólogo durante dois anos antes da cirurgia. Ela disse que o processo de mudança para o nome social foi bem demorado. 

View this post on Instagram

A post shared by PAULA (@paulaaraujooliveira) on

Ela conta que o pai já faleceu e que se não fosse por ele, não teria realizado a cirurgia “Foi ele que conseguiu a troca de sexo pra mim, os documentos para trocar, ele que sempre correu atrás de tudo isso pra mim. Se não fosse ele, eu não seria uma trans operada hoje em dia”

Apesar de representar o Amazonas, Paula nunca morou na capital amazonense mas já veio a cidade para participar de dois eventos. Ela diz que foi convidada para representar o Estado no concurso que acontece em agosto, em São Paulo. 

Segundo Paula, a candidata que representou o Amazonas em 2017 foi a vencedora do concurso “Tomara que me dê sorte, a vencedora do ano passado usava a faixa do Amazonas (risos)”

Sobre o preconceito e homofobia, a gaúcha diz que o país ainda está muito atrás com questões como esta “O nosso país ainda precisa lidar com o transexualismo, quando saio na rua, ainda vejo as pessoas olhando e comentando, mas não me afeta em nada isso, porque tenho orgulho de ser o que sou”. 

Para acompanhar o trabalho de Paula Oliveira siga o Instagram @paulaaraujooliveira

Comentários

Comentários