Foto: Hudson Braga

Manaus é forte candidata a receber o Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública Nacional (CIISPN) da região Norte. Nesta semana, o vice-governador do Amazonas e secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Almeida, e o deputado estadual Delegado Péricles, estiveram com o secretário de Segurança Pública do Ministério da Justiça, general Guilherme Theophilo, em Brasília, tratando do assunto.

O vice-governador e o deputado, que vêm articulando com o Governo do Estado a vinda do Centro de Inteligência regional para Manaus, expuseram ao general Theophilo toda a disposição da administração estadual em viabilizar o CIISPN na capital amazonense, inclusive com garantia de estrutura física.

“É interesse do governador Wilson Lima todo tipo de investimento em segurança pública, em especial em inteligência”, destacou Carlos Almeida.


O general Theophilo, que já esteve à frente do Comando Militar da Amazônia (CMA) e conhece a Amazônia e seus desafios como poucos, reafirmou o entusiasmo em desenvolver a região. “A Amazônia mora em meu coração. Com as condições adequadas, que o Estado garante fornecer, Manaus se torna candidata ao CIISPN, e o pleito do Estado será levado adiante”.

Com as dimensões geográficas e a extensa fronteira com países produtores de drogas, é fundamental o investimento em inteligência, defende o deputado Delegado Péricles. “O Centro que queremos em Manaus integrará as forças policiais dos estados do Norte. Essa união fará diferença”, afirma o deputado, especialmente no combate ao tráfico de drogas, organizações criminosas e no resguardo da fronteira.

Troca de informações – “A integração é tudo em matéria de segurança pública. Estamos insistindo nessa política, e acredito que com isso nós conseguimos fazer mais com menos”, disse o ministro da Justiça, Sérgio Moro, na inauguração do CIISPN de Brasília, mês passado. “Às vezes a polícia de um estado não se comunica com a de outro ou com a Polícia Federal. E uma das principais ideias é fortalecer essa troca de informações”, acrescentou o ministro à época.

A unidade de inteligência é composta por agentes das polícias civis e militares, órgãos federais e outras instituições especializadas no combate às organizações criminosas, como o Ministério Público e o Poder Judiciário.

O Centro Integrado de Inteligência de Brasília foi o segundo a ser inaugurado. O primeiro, do Nordeste, começou a funcionar em 2018, em Fortaleza. Em 10 de maio passado, entrou em operação o Centro Integrado de Inteligência do Sul (integrando Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). A intenção do Governo Federal é que exista um CIISPN por região do país.

Comentários

Comentários