“Sempre prontos!”. Com esse brado, o Grupamento de Manejo de Artefatos Explosivos, o Grupo Marte, da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), comemora dez anos este ano, atuando no combate a incidentes envolvendo bombas e artefatos explosivos. Este ano, foram 32 ocorrências atendidas em todo o estado, sem registro de ferimentos entre pessoas e agentes da segurança.

Com o efetivo de 23 policiais, o grupo Marte tem uma equipe capacitada no exterior, com formação na Brigada de Explosivos da Polícia de Córdoba, na Argentina, e na Agência Nacional de Redução e Controle de Ameaça, dos Estados Unidos.

Os militares que participaram de cursos no exterior, segundo informações do Grupamento, foram destaques com aproveitamento em primeira, segunda e terceira posição geral. “As ocorrências envolvendo bombas e artefatos explosivos no âmbito do estado, elas vêm crescendo em demanda, mas o grupamento Marte vem na frente, vem solucionando todas as ocorrências com o máximo de eficiência possível”, disse o subcomandante do Marte, capitão Paulo Victor.

Preparação – Uma das novidades agora é que o Grupo Marte está capacitando policiais militares de outras companhias para maior segurança no atendimento de ocorrências com supostos artefatos explosivos.

“O grupamento Marte oferece cursos de primeira intervenção em ocorrências com bombas e explosivos. Esse estágio é oferecido para policiais militares que atuam diretamente na rua, nas Cicoms (Companhias Interativas Comunitárias). Também oferecemos o curso de busca e localização de artefatos explosivos, que é a maneira de ingresso do policial militar no grupamento Marte”, disse.

História – O Marte foi criado em 24 de maio em 2011, mas já atuava como uma subunidade do Batalhão de Resposta Rápida, Apoio e Intervenção Operacional como a Companhia de Manejo de Artefatos Explosivos desde 15 de setembro de 2009, sendo a primeira célula policial especializada em Operações Antibombas do Amazonas.

Comentários

Comentários