Connect with us
               

Manaus, AM,

AMAZONAS

Indicadores apontam queda da média de mortes e casos confirmados de Covid-19 no Amazonas

Publicado

em

A ampliação na rede de assistência à saúde na capital e interior e as medidas de restrição de circulação de pessoas, adotadas pelo Governo do Amazonas para conter o aumento de casos da Covid-19, com a colaboração dos setores como o comércio, serviços, indústria e da população em geral, têm sido fundamentais para salvar vidas. Em 14 dias, a média móvel de mortes pela doença caiu 46% em todo o estado. Já a média móvel de casos confirmados diminuiu 31%.

Os dados são da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). O cálculo para chegar à média móvel avalia a variação percentual em intervalos de 14 dias. No caso das mortes, por exemplo, a FVS-AM comparou a soma dos números de óbitos de 1º a 7 de fevereiro com a soma de 8 a 14 do mesmo mês e identificou a redução de 46%.

Nesse mesmo período, os indicadores mostram que, especificamente na capital, a redução na média móvel foi de 41%. Já em relação aos 61 municípios do interior, a queda é ainda maior. A média móvel de mortes no interior apresentou queda de 57%.

Em relação à média móvel de casos confirmados, o interior também registrou queda maior que a capital com uma redução de 33%. Na capital, a atenuação da média móvel registrada foi de 30%.

Interior – O Amazonas é único estado brasileiro com pelo menos um hospital por cidade. Essa estrutura associada à alta cobertura de atenção básica no interior – onde em alguns municípios chega a 90% – possibilita o atendimento aos casos de média complexidade da doença nos próprios municípios.

Ocupação de leitos – O Governo do Amazonas segue com o trabalho de abertura de novos leitos exclusivos para Covid-19, tendo aberto mais de 160 somente nas últimas duas semanas.

O esforço é necessário para fazer frente à necessidade de internação de pacientes com a doença. A taxa de ocupação de leitos, nesta quinta-feira (18/02), é de 92% para Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e de 76% para leitos clínicos.

Flexibilização – Em razão dessa taxa de ocupação de leitos ainda elevada e para manter o movimento de queda de casos e óbitos, o Governo do Estado recomenda que a população permaneça adotando as medidas de prevenção, como distanciamento, uso de máscara e higienização das mãos.

A redução desses indicadores é fundamental para que novas medidas de flexibilização das atividades econômicas possam ser adotadas. Todas as decisões são tomadas pelo Comitê de Estadual de Enfrentamento da Covid-19, com base em dados da vigilância epidemiológica de da rede de assistência à saúde.

No último sábado (13/02), o governador Wilson Lima anunciou que, em relação à pandemia da Covid-19, Manaus regrediu da fase roxa, que é a mais crítica, para a fase vermelha, que ainda requer restrições à circulação de pessoas para diminuição do contágio. Com isso, um decreto com novas flexibilizações para atividades não essenciais entrou em vigor no último dia 15/02 e tem validade por sete dias, ou seja, até o próximo dia 21.

Mais Lidas