A partir deste ano, o Governo do Amazonas, por meio do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), vai usar Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARPs) para fiscalizar e combater os ilícitos ambientais no estado, segundo informou o diretor-presidente do Instituto, Juliano Valente.

A Aeronave Remotamente Pilotada (ARP), popularizada como “drone” ou “VANT”, é um equipamento robótico capaz de executar tarefas automatizadas de coletas de dados em superfícies de difícil acesso. O uso desse instrumento torna o trabalho de monitoramento e fiscalização mais ágil e eficaz.

De acordo com o diretor-presidente do Ipaam, Juliano Valente, o órgão está adotando métodos tecnológicos, com o intuito de trazer mais agilidade no processo técnico de fiscalização de ilícitos ambientais.

“O uso dessa tecnologia permite que o trabalho técnico de fiscalização consiga capturar dados fidedignos e importantes para o resultado da inspeção, e ainda impede que o profissional técnico ingresse em superfícies de alto risco”, disse.

Para o gerente de Fiscalização do Instituto, Hermógenes Rabelo, o uso da aeronave vai permitir captura de imagens de alta resolução da área fiscalizada. “Além de identificar a área de uma forma mais ampla, o equipamento dispõe também da opção de filmagem capaz de capturar aspectos relevantes para o resultado da fiscalização ambiental”, disse Rabelo.


Tecnologia – O Ipaam iniciou também, durante o segundo semestre de 2019, o uso de uma ferramenta tecnológica que irá facilitar a emissão dos autos de infração em campo. A equipe está contando com a utilização de um tablet para registro dos ilícitos ambientais detectados em campo, além de uma mini-impressora portátil para a emissão do auto de infração.

Os fiscais não vão mais precisar voltar à sede do órgão para lavrar o auto de infração. Na mesma hora em que a irregularidade for identificada, a equipe conseguirá tomar as medidas administrativas cabíveis.

Comentários

Comentários