MANAUS – O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) decidiu manter a prisão preventiva de Alejandro Molina Valeiko, 30, indiciado pela morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, 42, assassinado em setembro deste ano. As informações são do Portal Tucumã.

A decisão foi proferida pela juíza Anagali Bertazzo e foi divulgada após a realização de uma audiência realizada na manhã desta segunda-feira (02) no Fórum Henoch Reis, localizado na avenida Paraíba, bairro São Francisco, zona Sul de Manaus.

Depois de deixar a audiência, Alejandro disse que considera sua prisão uma “injustiça”.

Ele (Alejandro) está preso no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) desde outubro, com a decisão, ele permanece na carceragem da unidade policial.

Marco Aurélio Choy, advogado de defesa e presidente da OAB-AM, deixou o fórum por uma garagem privativa e seguiu diretamente para o 19º DIP.

Afirmação

Durante a audiência, Alejandro Valeiko confirmou ao júri que Elizeu da Paz, sargento da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), assassinou Flávio Rodrigues.

Com isso, a afirmação contraria o depoimento do lutador de MMA, Mayc Vinícius Teixeira Parede, que assumiu a autoria da morte de Flávio.Elizeu da Paz foi indiciado por homicídio e May Vinícius também foi indiciado pelo mesmo crime.

Alejandro sempre disse que não sabia quem era a pessoa responsável pela morte do Flávio, mas já afirmou em depoimento que Elizeu é uma “pessoa capaz de matar” e que gostaria de “mandar” na sua residência, que fica localizada na Ponta Negra, zona Oeste da capital.

Envolvidos

Além de Alejandro Valeiko, Elizeu da Paz e Mayc Vinícius Teixeira Parede, a morte do engenheiro Flávio Rodrigues também conta com a participação de outros suspeitos.

O cozinheiro Vitório Del Gatto foi indiciado por omissão, ele chegou a ser preso mas foi liberado devido ao seu estado de saúde. José Edvandro Martins Junior, 31, e Elielton Magno de Menezes Junior, 22, foram soltos na última sexta-feira (29).

A irmã de Alejandro Valeiko, Paola Valeiko, também foi indiciada, mas por fraude processual pois ela limpou a cena do crime. Cabe ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) oferecer a denúncia contra eles na Justiça.

Relembre o caso

O engenheiro Flávio Rodrigues participava de uma festa promovida no condomínio de Alejandro Valeiko no dia 29 de setembro deste ano. Durante um tumulto, Flávio desapareceu de forma misteriosa, sendo encontrado morto no dia seguinte em um terreno baldio no bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus.

A investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs) apontava Alejandro Valeiko, enteado do prefeito Arthur Virgílio Neto, como principal suspeito na morte de Flávio.

Ele chegou a viajar para o Rio de Janeiro dias depois do crime. Alejandro está preso no 19º DIP, com a decisão da Justiça, vai permanecer na carceragem da delegacia.

Comentários

Comentários