O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatou, na tarde deste domingo (25), o pedido feito pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) e determinou que os membros do Sindicato dos Rodoviários se abstenham de realizar qualquer movimento paredista nesta segunda-feira (26), conforme anunciado por representantes da categoria. A medida visa evitar maiores transtornos à população usuária do transporte coletivo.

Confira a decisão da Justiça

Na decisão, a desembargadora plantonista do Tribunal Regional do Trabalho da 11º Região, Solange Maria Santiago Morais, determinou que em caso de descumprimento, o Sindicato dos Rodoviários poderá ser multado em até R$ 100 mil por hora de paralisação.

Além disso, os sindicalistas devem manter distância de no mínimo 50 metros da entrada das garagens, sob pena de multa no valor de R$ 100 mil por hora. Caso haja necessidade, a magistrada determinou o uso de forças policiais para cumprir a liminar.

O secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTR), Élsio Campos, criticou a decisão da Justiça do Trabalho e não descarta a greve programada para esta segunda-feira. “A Justiça do Trabalho é muito ágil para decidir contra greve, mas muito lenta para julgar o dissídio dos rodoviários. O dissídio de maio, do ano passado, nós só recebemos neste ano. Quanto a greve, o sindicato ainda irá decidir se acatará a decisão judicial”, afirmou.

Na última semana, membros do Sindicato dos Rodoviários realizaram cinco paralisações, prejudicando uma média de 100 mil pessoas. O transporte coletivo de Manaus opera com dez empresas, em 221 linhas, e transporta em média 800 mil pessoas por dia.

 
 FONTE: D24am

Comentários

Comentários