O Leilão de Bens Móveis do Governo do Amazonas, organizado pela Secretaria de Estado de Administração e Gestão (Sead) e realizado nos dias 31 de maio e 1º de junho, gerou receita de mais de R$ 2,2 milhões. O montante vai ajudar no equilíbrio das contas públicas do Estado. Um novo pregão como esse deve ocorrer entre o fim deste ano e o início de 2020. A informação é da titular da Sead, Inês Carolina Simonetti.

“Os bens leiloados neste fim de semana não eram mais utilizados pelas secretarias e ocupavam os galpões da Sead, uma área de 7 mil metros quadrados. A Secretaria de Administração e Gestão já não tinha mais espaço para receber bens inservíveis. Agora, como os galpões serão liberados, novos equipamentos serão recebidos e, a partir daí, será organizado um novo leilão”, explicou Inês.

O valor exato a ser arrecadado será conhecido em dez dias, quando o leiloeiro contratado prestará contas, informou a secretária. Os arrematantes que optaram por pagar por meio de boleto têm três dias para quitá-lo. “Se não efetuarem o pagamento, serão multados em 20% do valor do bem arrematado, conforme prevê o edital. O arrematante perde o direito sobre o bem”, destacou a secretária.

O leilão do Governo do Amazonas também disponibilizou outras as opções de pagamento: débito em conta e parcelado no cartão de crédito em até 12 vezes. Os arrematantes puderam participar de forma presencial e online. Interessados de diversos estados ofereceram lances.

Arremates – No segundo dia do leilão, sábado (1º/6), foram leiloados carros de passeio, ônibus e caminhões, 400 veículos ao todo. A receita foi 231% acima da soma do valor do lance inicial de todos os bens disponíveis desse dia. O valor da soma dos lances iniciais era de R$ 478 mil e eles foram vendidos por mais de R$ 1,5 milhão.

Muitos lances arrematados foram bem acima do lance inicial. Uma picape S10 avaliada em R$ 1.350 mil foi arrematada por R$ 28 mil, 1.500% acima do estimado. O maior lance foi para um caminhão cargo avaliado em R$ 15 mil e arrematado por R$ 30,5 mil.

Nesta sexta-feira (31/5), primeiro dia do leilão, foram disponibilizadas 180 motos e outros materiais como carteiras, bebedouros e outros equipamentos que foram vendidos 66% acima da soma do valor do lance inicial. No primeiro dia, a soma dos lances iniciais era R$ 395 mil. E eles foram vendidos por R$ 657 mil.

Um lote formado por dois motores de popa avaliados em R$ 200 foi vendido por R$ 4,3 mil. Mais de 2.000% do lance inicial.

Comentários

Comentários