Por muito tempo o Programa Pânico já é um fenômeno na mídia brasileira. Tendo começado originalmente no rádio sob o comando de Emílio Surita, a atração logo foi parar na RedeTV! com um formato adaptado para a telinha, com direito a plateia, entrevistas externas e o que não podia faltar: imitações.

O Sucesso da fórmula foi tão grande que a RedeTV! passou a liderar contra a Globo nas noites de domingo. Depois, a atração mudou para a Band. Sem o mesmo sucesso de antes, mas ainda repercutindo. Após um bom período, já desgastado, foi cancelado, mas permaneceu firme e forte no rádio, de onde nunca saiu.

Nos últimos anos, o Pânico da Jovem Pan acabou perdendo nomes que fizeram história na atração, como Amanda Ramalho e Carioca, mas se renovou. Transmitido diariamente no canal do YouTube da rádio, o programa passou a apostar em externas simples, com imitações, lembrando muito aquele Pânico na TV.

Emilio Surita é apresentador do Pânico. (Foto: Divulgação)

Agora, quem tem saudades desse formato mais televisivo já pode comemorar. É que o Pânico passa a fazer parte da Panflix, projeto de streaming da Jovem Pan que aproxima a rádio cada vez mais da TV. O primeiro programa da emissora a estrear com esse formato foi o Jornal da Manhã.

Os comentaristas e âncora abandonaram o tradicional microfone da rádio e assumiram a bancada, tal qual um jornal televisivo. O mesmo deve acontecer com o Pânico, que volta em novo formato na segunda-feira (27). Entre as novidades já confirmadas para a atração, inclusive, está a presença de plateia.

Novos estúdios foram feitos justamente para adequar o Pânico a esse “novo antigo” formato, que contará com um convidado no peso: o Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. É um indício de que, mesmo com a mudança no formato, o programa continuará apostando em política como carro-chefe.

Fonte: O TV Foco

Comentários

Comentários