Foto reprodução/Facebook

Manaus – Uma imagem publicada nas redes sociais mostra o policial militar Rômulo Fernandes testando o gadget Google Glass, da Google. O uso dos óculos seria para identificar placas de veículos roubados e foi comparado com o projeto das câmeras nas viaturas do Ronda no Bairro.

Muitos usuários questionaram o uso da ferramenta por parte da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), como mostra os comentários:

De acordo com a matéria publicada pelo site CanalTech, as vendas dos ‘óculos’ do Google foram encerradas em 2015 após ser alvo de duras críticas por parte dos usuários e, ao mesmo tempo, considerado a melhor e a pior invenção dos últimos tempos. O valor chegava a US$ 1.500 dólares.

Segundo um ex-funcionário do Google, quando o programa Explorer foi colocado em prática, o Google Glass não era nem mesmo um produto pronto. “A equipe do Google X sabia que o produto não estava nem perto de estar pronto para testes”, conta ao New York Times.

Mesmo assim, o chefe da divisão Google X e cofundador do Google, Sergey Brin, quis que o Glass fosse a público com a esperança de que o feedback dos usuários ajudasse no desenvolvimento. No entanto, a imprensa especializada acabou por ignorar que estava com um produto de testes em mãos e o avaliou como algo finalizado, pronto para os usuários.

Em janeiro deste ano, o secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Louismar Bonates, viajou a Las Vegas em busca de novas armas e equipamentos para modernizar e melhorar o trabalho das polícias do Amazonas.

Ainda não sabemos se o uso do equipamento tem ligação com a viagem do secretário de Segurança. Veja as matérias publicadas em 2015 no G1 e EXAME.

Comentários

Comentários