Foto: Reprodução

A polícia prendeu no último sábado, 13/04, uma mulher identificada como Herlândia Nunes Rodrigues, 26, em razão do assalto ocorrido e transmitido ao vivo no Facebook, na semana passada, em que ela seria a suposta vítima feita refém. O caso aconteceu em Goiás.

Segundo informações, Herlândia já foi condenada ter forjado outro falso sequestro e até por matar o próprio cunhado envenenado.

A transmissão ao vivo pelo Facebook do falso sequestro foi feita na noite do dia 08 de abril desse ano, e enganou muita gente, incluindo as autoridades. Mas não se sabia a jovem, a “vítima” do sequestrador, já tinha uma reputação.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Danielo Fabiano Carvalho, não foi a primeira vez que a farsante forjou um sequestro. Segundo o delegado, a moça, presa temporariamente no último sábado, 13/04, depois do depoimento do sequestrador que fazia parte do plano de Herlandia, Matheus Campos de Oliveira, de 23 anos, fez um Boletim de Ocorrência no ano de 2016 onde alegou ter sido roubada, feita de refém e levada para uma rodovia em Rio Verde.

À época, os policiais registraram o caso e começaram as investigações. Entretanto, nada, nem um único indício do tal crime foi encontrado, apesar de todas as diligências.

Conforme o delegado Danilo Fabiano, tudo leva a crer que a farsante provoca essas situações de falso sequestro para se passar por vítima e obter notoriedade. “O Matheus, que fez o sequestro, sabia de tudo. Eles planejaram tudo juntos. Talvez seja por isso que ela tentou matá-lo, para que ele não contasse nada”, contou o delegado referindo-se ao fato de que Herlândia atirou contra Matheus, acertando-o na boca.

O delegado informou ainda que caso fique comprovado sem viés de dúvida o planejamento do falso sequestro, Herlândia vai ser indiciada por tentativa de homicídio e falsa comunicação de crime.

Falsa refém de Rio Verde já foi condenada por matar o cunhado envenenado

Não são só as comunicações de falsos sequestros que pesam no histórico de Herlândia, a “refém de Taubaté”. Segundo o delegado Danilo Fabiano, em 2010, quando Herlândia tinha 17 anos, ela foi condenada a cumprir medidas socioeducativas após matar o próprio cunhado envenenado.

Na época, ela chegou a ter ajuda de sua irmã. Herlândia continua sob custódia até que o caso seja totalmente elucidado.

Fonte: O Dia Online

Comentários

Comentários