The Sun | Marina Kovalenko, 29 anos, foi morta estrangulada por um homem que não teve a identidade revelada pela polícia. O acusado do crime, de 25 anos, confessou o homicídio e foi detido pelas autoridades em Yerzovka, na Rússia.

Ambos tinham envolvimento sexual. O motivo do assassinato, relatado pelo agressor, foi porque Marina tirou sarro com o tamanho do pênis dele, após terem feito sexo.

Ela, mãe de três filhos, conheceu o suspeito em um café. Ele ofereceu carona para leva-la até em casa. A afinidade aumentou e eles acabaram indo para uma garagem, na qual o homem alugava e lá tiveram relações sexuais.

“Após o ato, a vítima riu do tamanho do pênis do parceiro. Ele ficou ‘louco de raiva’, se sentiu profundamente humilhado e foi por isso que ele a estrangulou”, relatou uma fonte policial à imprensa local.

O homem levou o corpo de Marina até uma zona remota de floresta e a enterrou.

Os amigos da jovem notaram o desaparecimento da amiga e avisaram à polícia. As investigações levaram até o suspeito que foi a última pessoa com que Milena falou.

No primeiro interrogatório, o homem afirmou que ela tinha ido pra casa. Mas imagens de uma câmera de segurança mostraram que ela entrou com ele no local e ele saiu sozinho. Confrontado, o suspeito acabou confessando e levou a polícia até o local onde havia enterrado o corpo.

O assassino não tinha antecedentes criminais e pode ser condenado a uma pena de 15 anos. O filhos de Marina foram entregues ao pai, ex-marido da vítima.

 

Comentários

Comentários