Manaus – O Governo do Amazonas lança esta semana uma campanha publicitária  para chamar a população a se vacinar contra o sarampo. Embora esteja sem confirmar casos há 88 dias, o Estado tem onze notificações sob investigação, sete delas registradas em Manaus e quatro em Coari, por isso está intensificando, junto com os municípios, as ações de vigilância, controle e prevenção da doença .

Somando-se o fato de que a taxa de cobertura vacinal no Estado ainda está abaixo da ideal, que é 95% do público-alvo, a possibilidade do vírus se manter em circulação aumenta. “A preocupação com o sarampo atinge todo Brasil e o Amazonas ainda é o estado mais vulnerável, haja vista que tivemos, em um intervalo de um ano, mais de 9,8 mil casos confirmados da doença”, afirma o vice-governador e secretário estadual de Saúde, Carlos Almeida, que na semana passada tratou do assunto, em Brasília, com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e outros secretários estaduais.

Segundo ele, a preocupação das autoridades de saúde brasileiras é que se o surto não for interrompido, de imediato, o Brasil e a América perdem o certificado de área livre de sarampo.

O compromisso assumido pelo Governo do Amazonas é de uma grande ação junto à população e em parceria com os municípios, no sentido de reforçar a vacinação nas faixas etárias alvos: crianças a partir de 6 meses e adultos até 49 anos. 

Além de abastecer todos os 62 municípios do Estado com doses da vacina contra o sarampo, o Governo do Amazonas possui 28.970 doses estoque de reserva. Com isso, os municípios estão preparados para atender toda a população que precisa ser imunizada, que são pessoas na faixa etária de seis meses a 49 anos de idade.

“Recebemos doses do Ministério da Saúde. Todos os municípios estão abastecidos para garantir a cobertura vacinal. E, no caso de uma necessidade, temos ainda 28 mil doses, que nós chamamos de estoque estratégico”, informa Carlos Almeida.

Comentários

Comentários