O professor Batista (à esquerda), e o sargento Antonio Joselito foram presos por estupro de vulnerável, satisfação de lascívia e favorecimento da prostituição. - Foto: Reprodução

Manaus|AM – Dois suspeitos de estupro de vulnerável foram presos preventivamente durante a operação Kori na manhã desta segunda-feira (22). O mandado de prisão temporária, tem prazo de 30 dias, expedidos no dia 18 de julho de 2019, pela juíza Themis Catunda de Souza Lourenço.

De acordo com a Polícia Civil, uma das prisões ocorreu no conjunto Hileia, bairro Redenção, na Zona Centro-Oeste e a outra dentro da Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc), na Zona Sul da capital Manaus.

Segundo a polícia, o professor de Língua Portuguesa João Batista Costa e Silva, 66, conhecido popularmente como ‘Professor Batista’, e o sargento da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) Antônio Joselito Coutinho Viana, 53, foram presos suspeitos, em situações distintas, de terem abusado sexualmente de duas irmãs, uma adolescente de 14 e a outra de 15 anos. Além disso, a irmã mais velha das duas, uma jovem de 19 anos, também relatou ter sofrido abuso dos dois homens quando era menor de idade.

Detalhes do crime

O sargento se aproveitava do fato da família das vítimas serem muito humilde, para ajudar, doando comida, roupas e dinheiro. Dessa forma ele ganhava a confiança dos pais das jovens e se aproximava delas e cometia os abusos sexuais. Ele trabalha próximo da residência das vítimas, no bairro Santa Etelvina. Após a jovem, que agora tem 19 anos casar e sair da residência, ele iniciou os abusos nas outras duas adolescentes. Os atos aconteciam em motéis.

A jovem de 19 anos relatou que conheceu o professor de Língua Portuguesa quando tinha 13 anos. Da mesma forma que o primeiro criminoso, ele conheceu a família da jovem e passou a doar produtos.

Na época, o professor Batista levou a jovem para trabalhar como empregada na casa dele e lá ele abusava dela. Os estupros aconteciam no prédio do curso preparatório Equipol, no bairro Centro, Zona sul de Manaus.

A polícia investiga o envolvimento de uma terceira pessoa nos crimes, além da participação dos familiares. Os dois homens vão responder pelos crimes de estupro de vulnerável, satisfação de lascívia e favorecimento da prostituição.

Comentários

Comentários