MANAUS – Com objetivo de melhorar as fiscalizações em obras públicas, a Diretoria de Controle Externo de Obras Públicas (Dicop) do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) contará a partir do final deste mês com ajuda de drones para inspeção de obras públicas na capital e no interior do Amazonas.

A iniciativa faz parte do projeto de modernização da Corte de Contas do Amazonas idealizado pela presidente, conselheira Yara Lins dos Santos. 

“Temos que usar todas as ferramentas tecnológicas a nosso favor e para fiscalização dos recursos públicos. Autorizei a compra de dez drones para uso do controle externo que serão primordiais para auditorias em obras, subsidiando os nossos técnicos de dados e imagens que não seriam possíveis de outra forma”, disse a conselheira.

Desde segunda-feira (11), técnicos do TCE-AM estão realizando um curso de capacitação com a equipe do Instituto de Tecnologia Aeronáutica Remotamente Controlada (Itarc) para manuseio e pilotagem dos drones que serão utilizados pela Corte de Contas.

Na manhã desta terça-feira (12), os participantes conheceram o sistema de medições para captação de imagens com drones e o software que deve ser utilizado como ferramenta para medir em tempo real as estruturas das imagens captadas. À tarde, os servidores participarão de um módulo de pilotagem avançada. O treinamento prático será realizado na pista de atletismo da Vila Olímpica de Manaus.

Captação de imagens

De acordo com diretor da Dicop, Euderiques Pereira Marques, por meio da ferramenta, o Tribunal terá mais agilidade na elaboração dos relatórios das obras por meio das imagens captadas.

“Como a tecnologia está cada vez mais avançada e devido as dificuldades nas fiscalizações das obras, principalmente em obras de rodovias, o TCE-AM assim como os outros Tribunais, também utilizará essa ferramenta para ajudar nas fiscalizações. Os drones serão usados especialmente para as medições dos locais de difícil acesso”, explicou o diretor da Dicop, Euderiques Pereira Marques.

Ele explicou que os drones serão utilizados para gerar um relatório mais preciso sobre as áreas analisadas. “O drone sobrevoará as áreas que serão fiscalizadas e fará um relatório de imagem. Com a ajuda de um software será dado as dimensões de tamanho e alturas dos níveis e até uma base do material que foi usado na obra que estará sendo executada”, explicou o diretor da Dicop, Euderiques Marques

O curso segue até está quarta-feira (13), com o mesmo fluxo de trabalho realizado nos dois primeiros dias – aulas teóricas pela manhã, na Escola de Contas Públicas (ECP) do TCE, e práticas a tarde, na Vila Olímpica –  além da solicitação e autorização do órgão regulatório para execução voo e coleta dos dados.

Concluído os procedimentos, os servidores irão realizar no laboratório da ECP, trabalho com os dados coletado para gerar medições e resultados.

Comentários

Comentários