Em Caapiranga (a 134 quilômetros de Manaus, em linha reta), o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), em parceria com a prefeitura do município, tem auxiliado os agricultores familiares e produtores rurais na elaboração dos projetos de Pró-mecanização e Pró-calcário, gerenciados pela Secretaria de Produção Rural (Sepror).

Neste ano foram concluídos, no município, 33 projetos de agricultores da Associação de Desenvolvimento Rural dos Produtores da Comunidade São Lázaro (Asderprocs), no valor de R$ 305.355,35. As áreas mecanizadas já apresentam resultados de produção para a região.

De acordo com o gerente do Idam em Caapiranga, Áureo Enrique Carvalho, dos projetos aprovados, 11 foram de Pró-mecanização, 11 de Pró-calcário e 11 para a cultura da mandioca. Os projetos foram executados na comunidade Dominguinhos, no rio Manacapuru, onde foram entregues 25 hectares de área mecanizada. A comunidade beneficiada com a tecnologia da mecanização está localizada a cerca de 8 horas de balsa da sede do município.

“Após o preparo da área, foi realizado o plantio de mandioca, melancia, macaxeira e banana. A cultura da melancia já está dando resultados. Até o momento, foram colhidas 15 toneladas de frutos. Essa produção foi comercializada em feiras no município e também para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA/individual) ”, explicou o gerente.

Ainda neste ano, foram elaborados mais 15 projetos de agricultores da estrada Ary Antunes, sendo que 5 projetos de Pró-mecanização e 5 de Pró-calcário, orçados em R$ 107.450,00, já foram aprovados. Segundo Áureo Enrique, a preparação da área está prevista para ser realizada até o mês de dezembro. Ao final, serão entregues aproximadamente 14 hectares de área mecanizada, onde será realizado o plantio de mandioca, macaxeira e cará, culturas que oferecem mais rentabilidade para os agricultores da região.

“Esse é um grande passo para o setor primário e de fundamental importância para o pequeno produtor. Estamos agregando nossos conhecimentos com as novas tecnologias que irão aumentar nossa produção e a renda familiar”, disse o presidente da Associação Asderprocs, Ilson Costa Silva, ao destacar que a assistência do Idam baseada no conhecimento técnico tem ajudado no desenvolvimento da região.

Benefícios da mecanização –Com as tecnologias utilizadas é possível recuperar áreas degradadas através da correção de solo, evitando o desmatamento de novas áreas para o plantio; aumentar a produtividade de culturas agrícolas por hectare, além de dar qualidade de vida e renda para o agricultor, que está substituindo o trabalho manual pelas máquinas e implementos agrícolas.

“Antes, a dificuldade era muito grande, tanto de logística quanto de esforço físico. Hoje, com a mecanização, eles já recebem a área pronta para o plantio, a exemplo de um espaço que antes era possível cultivar de 3 a 4 mil pés de mandioca e atualmente conseguem plantar 10 mil pés. Tudo isso porque conseguimos limpar a área e tirar tocos que antes impediam que as áreas fossem utilizadas em sua totalidade”, explicou Áureo Enrique.

Comentários

Comentários