Manaus – O governador Wilson Lima lançou, neste domingo (29), a 41ª Exposição Agropecuária do Amazonas (Expoagro) durante a Cavalgada Solidária pelas ruas do Parque das Laranjeiras. Durante o evento, na Hípica Nilton Lins, o governador afirmou que a feira vai apresentar o potencial do Amazonas e movimentar a economia do estado. Ela não era realizada havia seis anos.

“É uma Expoagro com a cara do povo desse estado. Não vamos repetir as feiras realizadas em outras regiões do Brasil porque temos produtos com grande potencial para exportação, produtos que são únicos, e vamos começar a agregar valor dessas cadeias que tanto precisam não só do apoio do Governo do Estado, mas do Governo Federal e, sobretudo, do setor privado”, afirmou o governador.

Wilson Lima destacou ainda que irá montar um gabinete dentro da feira, onde serão atendidos produtores da capital e do interior.

“A realização desse evento é um trabalho de resgate da autoestima do pequeno produtor, do médio produtor, do pecuarista, do agricultor, daquelas pessoas que estão fazendo um grande esforço para colocar alimento na mesa”.

O governador do Amazonas ainda acrescentou que o Governo está construindo um novo momento no setor primário, que tem papel fundamental na retomada da economia do estado.

“Eu tenho uma preocupação muito grande em desenvolver o estado como um todo, e vejo o setor primário como uma das matrizes econômicas mais fortes, por meio da qual podemos ter um resultado muito grande, com possibilidades como, por exemplo, na piscicultura e em manejos florestais”, comentou. “A despeito do que acontece Brasil afora, onde a economia está andando de lado, no Amazonas temos incrementado as atividades econômicas, resultado desse aumento no Polo Industrial de Manaus, mas também é parte do investimento que estamos fazendo no setor primário”.

Plano Safra – Na ocasião, o governador destacou o Plano Safra, que destina cerca de R$ 350 milhões para atender produtores rurais, incluindo agricultores familiares, pescadores, extrativistas e indígenas do Amazonas. Os recursos contemplam ações de estímulo à atividade agropecuária, oferta de assistência técnica e crédito, e apoio à comercialização.

As cadeias prioritárias são de fruticultura (abacaxi, cupuaçu, banana, citros, açaí e guaraná); mandioca; café; juta e malva; avicultura; pecuária de leite e corte; piscicultura e pesca artesanal; milho; soja; feijão; castanha; óleos; borracha; piaçava; madeira em manejos simplificados; agroecologia e produtos orgânicos.

O Plano Safra Amazonas 2019/2020 tem a integração de diversos órgãos e instituições estaduais, municipais e federais, liderados pelo Sistema Sepror e suas vinculadas: Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável (Idam) e Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf). Conta com a parceria da Afeam, da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), do Banco da Amazônia e do Banco do Brasil.

Comentários

Comentários