MANAUS – O governador Wilson Lima visitou, nesta terça-feira (03), a empresa Moto Honda da Amazônia, no Polo Industrial de Manaus (PIM), para conhecer a nova fábrica de motores que agrupou processos de produção, incluindo fundição, usinagem, pintura alumínio e montagem. Ele também se reuniu com os diretores da empresa e tomou café da manhã com industriários da fábrica.

“É a terceira vez que eu venho aqui neste ano e faço questão de cumprimentar os industriários. Estou muito satisfeito com os resultados que o Estado tem obtido e com a retomada desse crescimento. Isso é muito bom para o trabalhador, para os empresários, para a economia, para o Amazonas”, ressaltou Wilson Lima.

Durante a visita, o governador destacou o crescimento da produção de motocicletas este ano, impulsionado pelo desempenho positivo do mercado interno. “Devemos ter aí um crescimento de 6,6% em 2019, e isso é muito bom. A produção cresceu em setembro, cresceu em outubro e vai fechar o ano muito bem. Devemos ultrapassar 1,1 milhão de unidades de motocicletas produzidas”, acrescentou Wilson Lima.

A nova estimativa da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares ( Abraciclo) para a produção total de 2019 é de 1.105.000 unidades, correspondendo a uma alta de 6,6% na comparação com o volume produzido em 2018 (1.036.788 unidades).

Aumento da produção – Só em outubro deste ano, as fabricantes do Polo Industrial de Manaus produziram 109.118 motocicletas, significando um aumento de 7,9% em relação ao mesmo mês de 2018 (101.089 unidades) e de 17,5% na comparação com setembro (92.894 unidades).

No acumulado do ano foram fabricadas 945.568 motocicletas de janeiro a outubro, volume 7,6% superior ao registrado no mesmo período de 2018 (878.868 unidades), conforme dados da Abraciclo. A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no PIM, está entre as oito maiores do mundo.

O governador destacou, ainda, que o crescimento na indústria reflete diretamente no comércio. “Se a produção industrial aumenta, as empresas sentem a necessidade de contratar mais pessoal e lá na ponta o comércio acaba aquecendo. Nós estamos trabalhando para manter a competitividade da Zona Franca de Manaus, garantir segurança jurídica para quem já está aqui e também atrair novos investidores.

Comentários

Comentários